O socialismo dá certo sim! Mantém o pobre na pobreza e distribui inflação jurando que é renda

Durante sua campanha, o socialista promete céus e literalmente terras, um discurso meloso e maldoso, já que, através do marketing previamente feito, ele sabe que o povo quer mudar de vida, mas por cegueira ideológica ele ajusta a real demanda, que é o desejo de melhorar materialmente para o que ele acredita ser o melhor: A  necessidade de ser igual, isso mesmo, ele diz saber o que é o melhor para pessoas que ele nem faz ideia de quem são.

Basicamente um inimigo é apontado, e com dedo em riste ele ataca o tal burguês e a classe média numa subjetividade tosca já que, um simples homem do dia a dia pode enxergar no teu vizinho que possui dois carros o tal burguês e o que possui dois carros enxergar o mesmo no que possui três e assim por diante.

Pura inocência acreditar que um homem que ataca a prosperidade material de alguns, possa oferecer meios para que alguém tenha acesso a bens e serviços em abundância, porque no exato momento em que a pessoa passa a ter acesso a tais itens, ela passará a compor o grupo dos indicados como inimigos do povo, O tal Burguês

A crítica que faço aqui, não é ao socialismo que propõe a abolição total da propriedade privada e a coletivização dos meios de produção já que esse é comprovadamente inviável mas aí alguns podem dizer: “Ah, então o que você ataca não é o socialismo” como se este na impossibilidade de ser implantado na tua forma original não tivesse se renovado e adquirido outras formas.

Então o que propõe o socialista atualmente? Ele diz propor a distribuição de renda através de politicas estatais, mas ora, distribuir qual renda? já que a propriedade privada e a liberdade de empreender estão sob constantes ataques, iniciados exatamente por ele. Até quando ele vai negar que somente através dessas duas o pobre consegue acumular algum capital e enfim, por ele mesmo, alcançar o desejado conforto material? No fundo eu acho que ele sabe que suas ideias são contraditórias e o que se busca é somente o poder pelo poder.

Aí o sujeito chega ao poder e se depara com a seguinte realidade: Não existe o suficiente para que se atenda as demandas de todos que acreditaram nele, e como haveria de ter, já que a riqueza foi apontada anteriormente como vilã? E agora, qual riqueza distribuir? E ele no desespero de se manter na crista da onda populista, adota o keynesianismo e imprimindo dinheiro, eufórico feito um menino ele vai distribuindo a moeda falsa dizendo ser a tal distribuição de renda.

Infelizmente é isso, Os ataques à propriedade privada e ao acúmulo de capital levam ao Populismo, que leva ao Keynesianismo que leva ao Desenvolvimentismo que por fim leva ao agigantamento estatal que mantém as pessoas exatamente onde elas estão.

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.