O monopólio dos transportes públicos em Itaquaquecetuba é péssimo para a população

Transporte público

Há pouco mais de um mês o motorista Fabiano Manoel Inácio morreu em Itaquaquecetuba sendo perseguido pela Polícia Científica e pela GCM e acabou sendo alvejado numa situação controversa e ainda não esclarecida. Fabiano era motorista ilegal de van. Após o caso, uma reportagem da TV Diário denunciou um esquema de pagamento de propina para que o transporte alternativo circulasse na cidade.

O grande culpado pelo caso das vans ilegais em Itaquaquecetuba é o monopólio nos transportes públicos garantido por lei para a empresa CSBrasil, empresa do grupo Julio Simões.

Enquanto apenas uma empresa tiver o direito de circular e com isso oferecer um serviço insatisfatório por um preço alto, mais empresas estarão à margem da lei tendo que pagar propina para levar um serviço necessário para a população e gerar casos como o da morte de um motorista de van na cidade.

A melhor forma de acabar com esse problema é erradicar totalmente o monopólio em Itaquá e abrir o mercado de transportes. O cidadão não quer a dita empresa fora da cidade, ela serve a população há muitas décadas, mas, o modelo de arrecadação desta empresa junto ao povo de Itaquaquecetuba é imoral.

A insatisfação é grande pelos atrasos, pela dupla função de motorista e cobrador gerando lentidão, pelo excesso de quebra de veículos, entre outros, sem que o usuário possa optar por uma segunda ou terceira empresa.

Os motoristas de vans poderiam ser uma opção viável, eles são pais de família e querem poder trabalhar. É o que eles sabem fazer.

O que a prefeitura de Itaquaquecetuba tem feito até então é dar resposta pronta para a imprensa negando a realidade para se eximir, como fez na reportagem da TV Diário, mas, é a própria prefeitura que não tem força suficiente para vencer a briga com a JSL.

O prefeito Mamoru Nakashima (PSDB) alega que o contrato tem duração até 2018. Mas, há algum plano para que após o final do contrato o mercado nos transportes seja, de fato, aberto? Ou será renovado mais uma vez por dez anos como fez o prefeito anterior?

O prefeito desistiu de dar esclarecimentos e permanece em silêncio enquanto a passagem de ônibus aumenta a cada dia sem que ele consiga fazer nada. É preciso combater o monopólio dando liberdade para que as empresas visem o lucro através da competição oferecendo o melhor serviço para conquistar o cliente e servir a cidade.

Eduardo Ribeiro
Liberdade, liberdade, abre asas sobre nós. :-D

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.